Carteira Ethereum

Proteja seus ativos

Proteja seus Ethereum ativos com a carteira hardware mais confiável. Carteiras de armazenamento frio são normalmente dispositivos encriptados que armazenam ativos Ethereum dos usuários offline, fornecendo uma camada de segurança contra as ameaças emergentes, que surgem ao se conectar à internet.


Segurança
de última geração


Simplicidade


Multimoeda

Descubra nossas carteiras

Como Gerenciar Ethereum com Dispositivos Ledger

Proteja sua

Proteja vários ativos, incluindo Ethereum usando uma carteira hardware Ledger.
Suas chaves privadas, que dão acesso aos seus ativos, permanecem seguras em um chip seguro certificado.

Ledger Nano S

Ledger Nano S

Proteja seus ativos Ethereum com a primeira e única
carteira Ethereum certificada de forma independente do mercado.

Saiba mais
Ledger Nano X

Ledger Nano X

A Ledger Nano X é um dispositivo seguro habilitado com Bluetooth® e
premiado com o CES award que protege seus ativos Ethereum

Saiba mais

Como administrar sua Ethereum (ETH)

Ledger Live

Gerencie diretamente sua Ethereum com o Ledger Live, nosso aplicativo de desktop e móvel. Verifique seu saldo em tempo real, envie e receba sua Ethereum e mais de 5.500 outros ativos diretamente do Ledger Live.

Descubra o Ledger Live

Elogiada por nossa comunidade

Veja mais

O que é Ethereum (ETH)

O conceito da Ethereum foi proposto por um jovem de 19 anos chamado Vitalik Buterin em 2013. A proposta contemplava uma plataforma tomando a ideia de blockchain do Bitcoin e a ampliando para englobar o armazenamento e a execução de programas de computador Turing-completos. Desde então, a Ethereum se tornou o quinto projeto de código aberto com o crescimento mais rápido no GitHub, com uma história incomum e um potencial convincente.

Recursos Ethereum (ETH)

Buterin trabalhou com figuras proeminentes de criptomoedas contemporâneas como Joseph Lubin e Charles Hoskinson no desenvolvimento inicial da Ethereum. Em julho de 2014, a Ethereum passou por uma venda em massa que arrecadou US$14 milhões. A Ethereum entrou oficialmente em funcionamento em julho de 2015 com seu lançamento "Homestead", o que sinalizou o surgimento da primeira plataforma de contratos inteligentes Turing-completa.

No entanto, a Ethereum logo encontrou problemas quando The DAO, um fundo de Venture Capital comunitário orientado a investidores, foi hackeado e perdeu cerca de US$150 milhões em junho de 2016. No que se tornou um momento decisivo para a indústria de criptomoedas, dois campos emergiram do descalabro.

De um lado, havia Buterin e a comunidade que queriam forçar o protocolo a um hard fork e retrocede-lo para reverter os fundos do hack. Do outro lado, a comunidade proponente do "código é lei" que viam qualquer hard fork como uma violação dos princípios fundamentais da Ethereum. A blockchain acabou sendo dividida, com o primeiro campo (ou seja, o de Buterin) se tornando a Ethereum e o segundo se tornando a Ethereum Classic.

O Propósito da Ethereum e os Contratos Inteligentes

A Ethereum é uma plataforma de contratos inteligentes em que contratos são codificados ou na linguagem de programação Solidity ou na linguagem experimental Vyper. O principal cliente da Ethereum é escrito em Golang. Ao contrário do Bitcoin, a Ethereum utiliza um modelo baseado em contas em comparação com o conjunto UTXO do Bitcoin devido a considerações específicas ao propósito.

A Ethereum logo emergiu como o alicerce do boom de ICO em 2017, funcionando como a infraestrutura padrão para o lançamento de tokens ERC-20 e inúmeros projetos que se esforçavam para se tornar o próximo grande sucesso. Vários aplicativos descentralizados (DApps) apresentaram estudos de caso intrigantes sobre o que era possível com "aplicativos imparáveis" em execução na rede. Contudo, a bolha de ICO eventualmente desmoronou e a comunidade Ethereum mudou seu foco para questões crescentes de problemas de escalabilidade.

Atualmente uma blockchain com consenso por prova de trabalho como o Bitcoin, o debate sobre a capacidade da Ethereum de atender às demandas da rede para que uma nova geração de DApps funcione em cima dela, levou a debates acalorados sobre o futuro da plataforma.

Inovações propostas, desde Plasma a Dappchains, entraram na dança. Contudo, o roteiro mais aceito para a plataforma tradicional de contratos inteligentes passou a ser conhecido como Ethereum 2.0 ou 'Serenity'.

Ethereum 2.0 e O Futuro

Buterin recuou muito à medida que a comunidade de desenvolvimento da Ethereum floresceu. No início de 2019, o conceito de financiamento aberto (ou seja, as DeFi) tornou-se uma narrativa predominante para a plataforma à medida que projetos desde MakerDAO até Compound Finance ganhavam popularidade.

Entretanto, problemas de escalabilidade ainda persistem, e a Ethereum está passando atualmente por sua tão aguardada transição a uma rede de prova de participação (PoS) para atender às demandas da rede. Como parte do roteiro para a 'Serenity', o destino final de uma Ethereum PoS compartilhada, a comunidade avançou recentemente com a atualização "Constantinople".

Espera-se que o código da Ethereum 2.0 seja finalizado neste inverno, a Ethereum se junta a uma classe de redes emergentes de blockchains PoS que convergem escalabilidade e interoperabilidade. Um behemoth na comunidade cripto, o futuro da Ethereum certamente terá um papel chave no ecossistema mais amplo com poderosas externalidades no futuro da tecnologia subjacente.

Mantenha contato

Anúncios podem ser encontrados em nosso blog. Contato para a imprensa:
[email protected]