Blog posts, Thought Leadership | 12/13/2022

Consumo de energia – Cripto VS Fiat?

cripto
Consumo de energia de criptos e moedas fiduciárias

O Bitcoin e outras criptomoedas são tópicos altamente discutidos com opiniões intermináveis. As pessoas que não são grandes fãs dessas criptomoedas podem lhe dar uma lista de efeitos negativos que estão ligados a essas moedas. Um dos efeitos mais notados é provavelmente o consumo de energia, algo que nem sempre é explicado corretamente. Sim, cripto consome muita eletricidade. Mas quais são os custos reais de energia? E o que acontece se as compararmos com nossas moedas nativas?

Indo a Fundo No Consumo de Energia Cripto

Criptomoedas estão usando diferentes tipos de algoritmos para proteger sua rede, os mais comuns são prova de trabalho (PoW) e prova de participação (PoS). Ambos os sistemas têm uma abordagem diferente para garantir a segurança da rede e a validação de transações.

A rede Bitcoin utiliza PoW. Este tipo de algoritmo precisa de uma enorme quantidade de energia para operar a rede e cerca de 90% dela é usada somente para mineração. Imagine que um minerador típico tenha uma sala cheia de computadores que estão resolvendo problemas matemáticos o dia inteiro. A dificuldade está aumentando constantemente, então a maioria deles precisa se expandir para ter ainda mais equipamentos, levando-os a consumir mais e mais energia. A utilização estimada de todos os mineradores juntos para 2020 é de cerca de 58 terawatt horas por ano. Sim, isto é muito e é mais do que a quantidade total de eletricidade utilizada em um ano na Suíça ou na Grécia.

Um estudo da Coinshare analisou a rede de mineração e destaca o fato de que a rede Bitcoin recebe 74,1% de sua eletricidade de fontes renováveis (energia eólica, solar e hidrelétrica). Os números exatos nem sempre são precisos e fáceis de descobrir, já que a maioria dos mineradoras quer permanecer anônima. Como precisam de cada vez mais equipamentos, algumas mineradoras estão migrando para a energia sustentável, principalmente para reduzir seus custos e aumentar seus lucros. Outra solução para reduzir o consumo de energia também pode ser encontrada no algoritmo. O PoS pode ser uma alternativa.

O algoritmo PoS é usado por diferentes projetos cripto e mudou a forma como os blocos são validados. Os validadores de bloco são escolhidos porque eles bloqueiam uma certa quantidade de criptomoedas no sistema. Quanto mais você bloqueia, mais chances você tem de ser um validador de bloco. Você receberá recompensas sobre o valor que você bloqueou. Isso pode ser comparado à sua conta bancária onde você recebe dinheiro se você o guarda em uma conta poupança.

Por natureza, este PoS é um algoritmo de baixo consumo de energia, pois não há mineração envolvida no processo. A única coisa que é necessária é um laptop para executar um node, que estará funcionando 24 horas por dia, 7 dias por semana e utilizará cerca de 350 quilowatts de energia durante um ano inteiro. Isto significa que ele utiliza até 35% de energia de apenas uma única transação de BTC.

Ainda há muito o que se fazer e precisamos descobrir qual é a melhor maneira de garantir a segurança de uma rede blockchain. Novas soluções também estão em ascensão como a fragmentação, ("sharding") para tornar uma blockchain mais eficiente, ou melhores equipamentos de mineração, para diminuir a quantidade de eletricidade sendo usada.

Agora você sabe quanto custa criar e manter redes descentralizadas para criptomoedas, mas você está realmente ciente dos custos das moedas atuais como o Dólar e o Real?

Nossa Moeda de Papel

Há menos moedas e notas em circulação do que havia em um determinado momento, mas a produção ainda está lá e a oferta em circulação é de US$ 1,87 trilhões de dólares somente nos EUA. O dinheiro nem sempre é puramente digital e precisa ser impresso, o que significa que ele tem um ciclo de vida: algumas notas e moedas se desgastam e precisam ser produzidas novamente. Uma nota de US$ 10,00 tem uma vida útil estimada de 5,3 anos e uma nota de US$ 5,00 tem uma vida útil estimada de 4,7 anos. Para produzir novamente estas notas e moedas, você também precisa de muitos recursos naturais (água, tinta, celulose, algodão, linho e diferentes tipos de metais).

Os custos estimados de produção global de moedas de papel em 2014 foram de 5 terawatts por ano e 10 bilhões de litros de água. Enquanto o sistema bancário por si só consome mais energia do que a rede Bitcoin, os custos de energia dos bancos são calculados em torno de 100 terawatts por ano. Isto é quase o dobro do Bitcoin. De fato, os bancos precisam administrar muitos servidores, agências e caixas eletrônicos para manter seu sistema acessível ao público.

Ambos os sistemas precisam de uma certa quantidade de energia para prosperar, então como podemos reduzir isso?

Evolução da Energia

Estamos no início de uma revolução industrial e esta usará mais soluções de energia renovável do que a última. Os mineradores já estão migrando para o Noroeste do Pacífico, na América do Norte, onde a eletricidade é barata para eles devido à disponibilidade massiva de energia hidrelétrica.

A Islândia também está se tornando um famoso destino de mineração, já que esta nação depende quase inteiramente de energia renovável.

Então o que você acha? E o que você acha que é melhor para ser usado como solução? Novos protocolos provavelmente surgirão para diminuir o consumo de energia ou todas as mineradoras migrarão para uma fonte de energia renovável.


Fique em contato

Acompanhe nosso blog para novidades. Contato de imprensa:
[email protected]

Assine nossa
newsletter

Novas moedas compatíveis, atualizações do blog e ofertas exclusivas diretamente em sua caixa de entrada