O Que É criptomoeda?

Ler 3 min
Pontos Principais:
— Criptomoeda é uma medida digital de valor que pode ser rastreada e transferida sem o uso de um intermediário
— A criptomoeda existe em uma rede chamada blockchain: um livro-razão infinito e imutável capaz de registrar todas as transações já feitas em uma rede
— Como a blockchain é precisa e imutável, ela permite que o valor seja transferido sem intermediários, possibilitando transações peer-to-peer
— Como a blockchain permite que as criptomoedas existam além do controle de bancos e autoridades centrais, possuir criptomoedas significa ser totalmente responsável pelo armazenamento seguro de seus ativos

Então você está pensando em entrar no mundo das criptomoedas? Para começar a aprender corretamente sobre criptomoedas, vamos primeiro começar com uma introdução geral ao conceito de criptomoeda. Nesta primeira etapa do nosso guia para iniciantes, você aprenderá o que é criptomoeda, sua base filosófica e suas características gerais.

Por que precisamos de criptomoedas afinal?

Vamos começar com o óbvio: nosso mundo está se digitalizando. Em 2020, aproximadamente 60% da população total do mundo usa a internet e esse número está crescendo. A democratização da internet no início do século 21 trouxe novos hábitos e práticas: blogs, bate-papos, jogos… O que é ótimo! O objetivo da internet era permitir o compartilhamento de informações peer-to-peer, sem intermediários ou autoridades centrais. Em outras palavras: a descentralização da informação.

No entanto, conforme projetada, a internet não permite compartilhar valor de forma descentralizada. Para compartilhar um arquivo ou uma música com um amigo, via WeTransfer ou e-mail, por exemplo, você envia uma cópia do arquivo e mantém o original em seu dispositivo. Mas se você enviar um Dólar para um amigo mantendo esse mesmo Dólar, o Dólar perde seu valor.

A única maneira de trocar dinheiro era através de intermediários, sejam eles digitais ou físicos (sim, como os bancos!). Portanto, a pergunta do milhão era: como estender a descentralização ao compartilhamento de valor? Em outras palavras, como criar uma moeda digital que permita transações peer-to-peer?

A resposta surgiu em 2008 com o nascimento do Bitcoin, a primeira criptomoeda. Quando seu criador Satoshi Nakamoto publicou o white paper chamado Bitcoin: um sistema de dinheiro eletrônico peer-to-peer. Com este título bastante descritivo, o white paper explica o que é Bitcoin e como ele funciona. Com isso, ele abriu o caminho para o ecossistema e o mercado de criptomoedas, bem como uma nova maneira de compartilhar valor de forma peer-to-peer.

Criptomoedas e Blockchain: Qual é a Diferença?

É difícil não falar de blockchain quando se fala de criptomoeda. Se não impossível. Simplificando, enquanto a criptomoeda é como um dinheiro digital, a blockchain é a rede na qual as transações monetárias operam.

Sabendo disso, a maioria das criptomoedas tem suas próprias blockchains com suas próprias regras. Vamos usar como exemplo a massa carbonara. Apesar de existir uma receita original para referência e ingredientes obrigatórios, cada pessoa tem sua própria maneira de cozinhá-la. Como resultado, existem inúmeras variações de massa carbonara, todas gravitando em torno da mesma ideia original. Por isso, por um lado temos “a tecnologia blockchain”, que é o conceito técnico genérico, como “a internet”, e por outro lado temos várias “blockchains” que suportam as diferentes criptomoedas, como a “rede blockchain do Bitcoin” ou “blockchain Ethereum”.

Enquanto a blockchain é a tecnologia de suporte, as criptomoedas são até agora o uso mais comum dessa tecnologia. Mas entrar no mundo das criptomoedas significa mais do que apenas ganhar dinheiro. Trata-se de fazer parte de uma dinâmica revolução tecnológica.

Diferenças entre criptomoedas e moedas fiduciária

Uma boa maneira de entender melhor o potencial das criptomoedas é analisar as diferenças e semelhanças entre elas e as moedas fiduciárias, como o Dólar, o Real e o Euro.

Primeiro, ambas são moedas. Isso significa que elas possuem alguns atributos em comum. Ambas são meios de troca que podem ser usados para armazenar e transferir valor, bem como para comprar bens e serviços. Ambas são legais. Ambas podem ser usadas para negociação ou investimento. Ambas dependem da ampla confiança dos consumidores para funcionar como meio de troca. Ambas têm seu valor regido por fatores econômicos como oferta, demanda, trabalho e escassez… No entanto, existem 5 grandes diferenças cruciais. É aqui que reside o poder revolucionário das criptomoedas.

Cripto vs Fiat

Ao eliminar os intermediários e provocar uma disrupção no sistema financeiro tradicional, as criptomoedas apoiam a descentralização e o empoderamento individual.

As criptomoedas são o combustível para um sistema totalmente novo no qual você, como indivíduo livre, tem mais poder. No qual você pode “ser seu próprio banco”, sendo o único no controle seus ativos digitais e o único responsável por mantê-los seguros. Sem autoridade central envolvida, sem forçar você a confiar em terceiros.

Isso significa mais liberdade e independência para fazer suas próprias movimentações. Mais igualdade, transparência e privacidade em todas as suas ações. Embora as criptomoedas ainda tenham um longo caminho a percorrer e desafios a serem superados, é disso que se trata as criptomoedas: colocar as pessoas de volta no centro e dar a elas controle sobre suas vidas.

Conhecimento é poder.

Confie em você mesmo e continue aprendendo! Se você gosta de aprender sobre criptomoedas e blockchain, confira nosso vídeo da School of Block que explica por que o Bitcoin é tão popular e o que ele oferece aos usuários.


Mantenha contato

Anúncios podem ser encontrados em nosso blog. Contato para a imprensa:
[email protected]